quarta-feira, 21 de junho de 2017

UM RITUAL DE SOLSTÍCIO DE INVERNO




Olá, pessoa mágica!

Estou passando rapidinho para dar um ritual simples que pode ajudar muito mais do que você pensa. Estamos entrando no Inverno, onde as noites são mais longas e tendemos ao recolhimento. É um momento que lembra muito a carta O Ermitão, onde precisamos lidar com a solidão e a escuridão. Por incrível que pareça, é quando olhamos para essa escuridão que as luzes começam a se acender e percebemos com mais clareza o sofrimento desnecessário, o tempo perdido, o amor mal amado e as dores sentidas. E então podemos mudar! O Inverno é uma delícia para ver televisão e ler livro debaixo das cobertas, com cachorro e gato por cima de nós, mas também é o momento de auto avaliação para que possamos retornar na Primavera com leveza o bastante para florescer! Segue um ritual simples que você pode fazer de hoje a sete dias!



O que você precisa:

3 velas pretas
Sal grosso
Uma bacia com água
Pedras escuras (turmalina negra, ônix, quarzto fumê, ametista)



Acenda as velas pretas e coloque-as em triângulo, com você no meio, voltada para a direção Norte, uma das bases do triângulo. Chame pelos Deuses e Deusas do Inverno. Se tiver preferência por algum, chame pelo nome. Se não, chame apenas Deuses e Deusas das Noites Mais Longas. Peça-lhes que possam assessorar você em seu ritual, orientando e protegendo. Respire profundamente e relaxe. Entoe um cântico que seja só um murmúrio, de olhos fechados. Então, diga:

“Eu olho para o lado escuro da Lua. Eu vejo a escuridão que há em mim. E eu a acolho, pois faz parte de mim. E eu a perdoo, pois me fez crescer. E eu a liberto, pois preciso renascer.”



Pegue uma pedrinha de sal grosso e pense em algo na sua vida que te deixa triste, frustrado, incomodado, furioso, enfim, algo que suscite sentimentos ruins. Diga o encantamento em voz alta e coloque a pedrinha na bacia. Faça isso quantas vezes forem necessárias, até ter terminado com seus momentos ruins. Olhe para a bacia e sinta-se leve, vendo que a pedrinha desapareceu. Quando as pedras desaparecerem na água, molhe suas mãos, dizendo:

“E assim, assim, e não de outra forma, eu devo morrer. Com minhas dores e minhas tristezas, que a água das lágrimas leva embora. E assim, assim, e não de outra forma, eu devo renascer. Leve e livre para alçar novo voos agora. Assim seja, assim se faça, assim é e assim está feito!”

Retire as mãos da água e deixe-as secar naturalmente enquanto medita sobre a vida que você tem sem os pesos dos quais se livrou. Quando suas mãos estiverem secas, agradeça e encerre o ritual. Jogue a água fora e deixe as velas pretas queimarem até o fim.

Um Feliz Yule pra você!

Eddie Van Feu